TÓPICOS

Glifosato multiplica cianobactérias

Glifosato multiplica cianobactérias

Até o momento ninguém relacionou o Glifosato como ator direto e predominante no aumento das cianobactérias e na eufratização em nosso país (Uruguai).

Aparentemente, por ser inequívoco que o principal gatilho para esse problema que leva ao nosso apodrecimento da água é o Sistema de Desenvolvimento Agroindustrial adotado, o protagonismo do principal agrotóxico utilizado tem sido esquecido.

ECOAPICULTORES vê a importância de relacionar diretamente a associação do aumento da contaminação por cianobactérias com o embasamento científico publicado.

Não basta a declaração do Diretor Nacional de Meio Ambiente (DINAMA), Alejandro Nario, de que a proliferação de cianobactérias se deve às mudanças climáticas e ao uso de fertilizantes na produção agrícola. (1)

É preciso esclarecer que nos últimos anos o uso desse agrotóxico tem aumentado, chegando a mais de 15 milhões de litros por ano, junto com outros agrotóxicos e fertilizantes.

Geralmente, uma frase de efeito muito fácil de culpar a fertilização é escolhida, sem esclarecer que a fertilização é a culpada porque, na verdade, é mal aplicada. Uma fertilização que deve ser feita constantemente porque o SISTEMA AGRÍCOLA IMPOSTO não prevê que deva haver fixação nos solos do mesmo. Não está interessado em gerar FERTILIDADE. A venda deste e de outros insumos é mais importante ano após ano. E a maioria desses fertilizantes sintéticos não são fixos, eles se perdem no ar e com o escoamento da água.

A perda da biodiversidade e da vegetação natural nas margens dos cursos d'água faz com que não haja buffer de nutrientes e, portanto, não haja consumo destes, que acabam chegando à água. Esta perda de biodiversidade é fruto de um conceito cada vez mais forte de PRODUTIVISMO promovido pelo SISTEMA, onde se utilizam cada vez mais herbicidas tóxicos, e o exemplo que mais claramente indica este fenômeno pode ser apontado no que os nossos compatriotas chamam, ” campo sujo ”, a qualquer pequena fração de solos que expressem vegetação natural diversa e pouco exuberante. E transformando em um campo limpo, aquele aqui tem algumas gramíneas e com sorte algumas leguminosas estrangeiras.

A informação sobre como o Glifosato contribui para a proliferação de cianobactérias e eufratização não é secreta nem nova, apenas não é levada em consideração pelos atores oficiais e promotores deste SISTEMA AGROINDUSTRIAL E EXTRACTIVISTA.

Pérez et al., 2007: Efeitos do herbicida Roundup em comunidades microbianas de água doce: um estudo de mesocosmo.

… Com relação ao Glifosato e às comunidades microbianas aquáticas. A abundância de micro e nano fitoplâncton diminuiu e o nível de picocianobactérias aumentou cerca de 40 vezes. A produção primária total dobrou. Mortos foram observados em comparação com os vivos. A abundância de cianobactérias aumentou 4,5 vezes. A composição do pigmento do fitoplâncton e o espectro de absorção mudaram. Os efeitos produzidos na estrutura da comunidade microbiana são mais consistentes com o efeito direto do glifosato do que com o enriquecimento com fósforo. (dois).

Maria S. Vera et al., 2009 .- Novas evidências do impacto do Roundup (formulação de glifosato) na comunidade de perifíton e na qualidade da água dos ecossistemas de água doce. O fósforo total aumentou significativamente nos mesocosmos tratados devido à degradação do Roundup, que favoreceu o processo de eutrofização. O Roundup produziu um claro atraso na colonização periférica nos mesocosmos tratados, e os valores das variáveis ​​de massa periférica (peso seco, peso seco sem cinzas e clorofila a) foram sempre maiores nos mesocosmos controle. Apesar da mortalidade de algas, principalmente diatomáceas, as cianobactérias foram favorecidas nos mesocosmos tratados. Observou-se que o glifosato produziu uma mudança de longo prazo na tipologia do mesocosmo, "claro" que se tornou "turvo", o que é consistente com a tendência regional em lagos rasos na planície pampa argentina. Com base em nossas descobertas, fica claro que as práticas agrícolas que envolvem o uso de herbicidas como o Roundup afetam organismos não-alvo e a qualidade da água, modificando a estrutura e a funcionalidade dos ecossistemas de água doce. (3).

Sabe-se também que a fertilização fosfatada sinergiza o escoamento ou difusão do glifosato permitindo mais fácil contaminação de mananciais e solos, como exemplo vale citar:

Maria Carolina Salsal et al., 2015. Perda de glifosato devido ao escoamento e sua relação com a fertilização com fósforo. O objetivo deste estudo foi avaliar a relação entre a aplicação de fertilizantes com glifosato e fosfato e sua contribuição na contaminação do escoamento superficial. Determinante: A aplicação de fertilizante fosfatado resultou em uma maior perda de glifosato por enxurrada após 1 dia de aplicação. (4)

Marcelo Pedrosa Gomez 2015. Consequências da aplicação de fosfato na absorção do glifosato pela raiz: impactos nas práticas de gestão ambiental. A fertilização com fosfato (PO4 3) é uma prática comum em campos agrícolas e também tem como alvo a aplicação de glifosato. Devido às suas semelhanças químicas, o fosfato e o glifosato competem por sítios de adsorção no solo, com a fertilização com fosfato aumentando a biodisponibilidade do glifosato na solução do solo. Após a utilização do fosfato, sua concentração será alta na solução do solo e tanto o fosfato quanto o glifosato estarão disponíveis para escoamento em ecossistemas aquáticos. … Em condições agrícolas, a fertilização com fosfato pode amplificar a eficiência do glifosato, aumentando sua absorção pelas indesejáveis ​​raízes das plantas. Por outro lado, uma vez que o escoamento simultâneo de fosfato e glifosato são comuns, espécies não-alvo encontradas perto de campos agrícolas podem ser afetadas.

María C. Sasal 2009. Perdas de Glifosato por Drenagem e Escoamento em Molissolos sob Semeadura Direta. Os resultados obtidos sobre a contribuição da cultura da soja para a poluição das águas por glifosato e AMPA mostraram sua presença em drenagem e enxurrada, em coincidência com chuvas de primavera que favorecem a passagem rápida da água em direção ao lençol freático ou em direção cursos de água de superfície. Embora as concentrações encontradas tenham sido elevadas em relação ao padrão europeu, a quantidade de glifosato e AMPA que saiu do sistema foi muito pequena, tanto por escorrência quanto por drenagem, representando menos de 0,03 e menos de 0,6% de os valores aplicados, respectivamente. (6)

A omissão do Glifosato como diretamente relacionado à proliferação de cianobactérias e eufratização nada mais é do que o reflexo de uma ação mal intencionada dos defensores do Sistema de Desenvolvimento Agroindustrial que dia a dia demonstra sua INSUSTENTABILIDADE. Este Sistema está condenando nossa População e nossas crianças a uma deterioração de sua SAÚDE, e a um empobrecimento devido à contaminação de seus recursos naturais que será muito difícil de reverter se medidas imediatas não forem tomadas, como a proibição estrita do glifosato e outros pesticidas etc. perigoso.

Referências:

  1. http://www.telenoche.com.uy/
  2. Efeitos do herbicida Roundup em comunidades microbianas de água doce: um estudo em mesocosmo. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
  3. Novas evidências sobre o impacto do Roundup (formulação de glifosato) na comunidade de perifíton e na qualidade da água dos ecossistemas de água doce http://www.lemn.org/
  4. Perda de glifosato pelo escoamento e sua relação com a fertilização com fósforo. https://pubs.acs.org/
  5. Consequências da aplicação de fosfato na absorção de glifosato pela raiz: impactos nas práticas de gestão ambiental. https://www.sciencedirect.com/
  6. Perdas de Glifosato por Drenagem e Escoamento em Molissolos sob Semeadura Direta. https://scielo.conicyt.cl/

Fonte: Resumo da América Latina


Vídeo: El glifosato de Monsanto en la mira (Setembro 2021).