TÓPICOS

Seu grão de areia para a Terra

Seu grão de areia para a Terra

Outrora foram os deuses, que supostamente destruiriam tudo o que habitava a Terra, com sua fúria colossal, se nós, humanos, não nos rendêssemos à sua homenagem.

Então algum cometa perdido, ao colidir com o planeta, causaria uma explosão tão grande que a vida se tornaria impossível para qualquer ser vivo.

E mesmo alienígenas, seres com mal e voracidade desconhecidos e um avanço tecnológico muito superior ao nosso, seriam os que terminariam com centenas de milhares de anos de evolução de uma só vez.

Pois não, tudo isso falhou, todas aquelas previsões sobre o fim do mundo foram se tornando hipóteses cada vez mais enfraquecidas, cada dia mais implausíveis.

Foi então que começamos a esquecer as fábulas e a olhar para a realidade. Lá percebemos que, aquele fim abrupto de nossa civilização que tanto temíamos, estávamos causando a nós mesmos, os Humanos. Que não ia ser em um dia, nem em uma semana, nem em um ano, mas que, assim como o fumante enfraquece e adoece o corpo a cada cigarro, estávamos enfraquecendo o ecossistema planetário com nossos avançados sistemas de produção e nosso jeito de vida.

Assim chegamos à primeira grande manifestação ambiental, ocorrida em 22 de abril de 1970. Desde então, efetivamente oficializado pela ONU desde 1972, o Dia da Terra é comemorado todo dia 22 de abril, com o objetivo principal de gerar maior consciência sobre os cuidados que devemos ter com os recursos naturais da Terra e com os participação que devemos ter como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis, na tomada de decisões que possam afetar o meio ambiente.

Mas, apesar das campanhas antitabagismo, é muito difícil para os fumantes parar de fumar. A nicotina dos cigarros é um veneno forte usado para fumigação. É responsável pelo fato de que, após 30 a 60 minutos após o término do tabagismo, quando seus níveis caem no sangue, o organismo diga "preciso de outro cigarro". Sim, e apenas para esse fim a nicotina é adicionada.

E apesar de estar ciente do que está acontecendo, é muito difícil para o mundo parar de usar. O consumidor consome o que o produtor produz. Ou será o contrário? À primeira vista, essa questão se parece com a velha questão sobre quem apareceu primeiro, a galinha ou o ovo. Porém, a diferença está no fato de que a decisão sobre o que deve ser produzido e o que deve ser consumido, que temos deixado nas mãos do "mercado", mas não o mercado do seu bairro, hein? Aquele que fica bem mais ao norte e que não tem gôndolas nem carrinhos.

O fumante pensa que está fumando cigarros, mas na realidade está consumindo seus pulmões, suas artérias, seu fígado, seu corpo.

O consumidor acredita que está consumindo alimentos, utensílios domésticos, roupas, celulares ou outros produtos, porém, está consumindo rios, florestas, montanhas, ecossistemas; é o próprio planeta que está consumindo. A produção ambientalmente sustentável e o consumo responsável são ferramentas importantes para colocar em prática, aprofundar e difundir.

Temos muito que fazer, aprender, trabalhar. Aqueles de nós que permanecem convictos de que ainda temos tempo para conseguir que um dia, não muito longe, todo o planeta seja um lugar onde os seres humanos convivam com outras espécies de forma mais harmoniosa e sustentável.

Ricardo Natalichio
diretor
www.ecoportal.net


Vídeo: TUDO QUE EU VIVI - Vocal Livre CataVento Lyric (Julho 2021).