NOTÍCIA

Oito países caribenhos proíbem plástico de uso único e poliestireno

Oito países caribenhos proíbem plástico de uso único e poliestireno

A proibição começou em 1º de janeiro e atinge produtos altamente poluentes, como plástico e poliestireno, que levam entre 400 e 500 anos para se degradar ou até desaparecer.

Jamaica, Belize, Bahamas, Barbados, Costa Rica, Grenada e Trinidad e Tobago proibiram a importação de caixas de plástico e poliestireno descartáveis, materiais derivados do refino de petróleo.

A proibição começou em 1º de janeiro e afeta produtos altamente poluentes que levaram cerca de 400 séculos para serem eliminados. Esses materiais se tornaram uma ameaça real que é ainda maior em locais de férias e turismo de massa.

A região do Caribe vai da península da Flórida até a foz do rio Orinoco e inclui o Golfo do México e a costa atlântica da América Central. Uma vasta região de beleza deslumbrante e diversidade rica em recursos naturais ao mesmo tempo.

Os efeitos das mudanças climáticas estão afetando esta região do mundo de forma especial, por meio do aumento da força e da intensidade dos furacões e da elevação do nível do mar. Além disso, há uma crescente poluição dirigida produzida pelo homem, em que o protagonista é o plástico que, por exemplo, na Jamaica já representa 50% do lixo produzido.

A decisão desse grupo de países e ilhas de longa costa, que compartilham o Mar do Caribe como riqueza e fronteira natural comum, segue-se à tomada em 2012 pelo Haiti, em 2016 por Antígua e Barbudas e no ano passado por Aruba, Colômbia, Guiana. , Porto Rico, São Vicente e Granadas, Ilhas Turks e Caicos.

Essa notícia positiva certamente ajudará os países que tomaram a decisão. No entanto, é importante sublinhar que para realmente combater a poluição e seus graves efeitos, outros países da região - como Estados Unidos, México, Cuba, República Dominicana, Venezuela, Honduras, Nicarágua e Panamá - devem dar passos semelhantes. .

Artigo original (em inglês)


Vídeo: SP proíbe produtos descartáveis de plástico em bares e restaurantes (Julho 2021).