TÓPICOS

A Dívida Externa é pequena, em comparação com as outras duas dívidas

A Dívida Externa é pequena, em comparação com as outras duas dívidas

Todos nós já ouvimos falar de “Dívida Externa” muitas vezes. Independentemente de se deve ou não ser pago integralmente, revisado, reprogramado, tolerado ou repudiado, todos nós sabemos que ele existe.

Sabemos também que neste momento a dívida externa da América Latina como um todo atingiu 29,4% do PIB em 2012, mas em 2017 subiu para 43,3%. A projeção é que em 2023 esteja em 52,7%. E que nossos países paguem muito mais dinheiro a cada ano em juros sobre essa dívida, do que investem para garantir que os direitos humanos de seus povos sejam respeitados, como o direito à educação, saúde e justiça, ou o direito a um ambiente saudável e a uma vida digna.

No entanto, embora seja o mais conhecido, que a “Dívida Externa” não é a única dívida que existe. Podemos pelo menos levar em conta mais duas dívidas muito mais importantes. Um deles é muito antigo, tanto que remonta a uma época em que se iniciava a pilhagem daquele continente, em que a Natureza era amada e respeitada, tanto quanto uma Mãe. Esta dívida, da qual apenas uma parte está documentada através do Arquivo das Índias, que tem papéis, recibos e assinaturas que a sustentam, relata que apenas entre 1503 e 1660 185 mil quilos de ouro e 16 milhões de ouro chegaram à Europa. quilos de prata da América.

Esta dívida que o Continente Europeu mantém com a América, principalmente a América Latina e o Caribe, sem ter pago um peso de capital ou juros, seria, se razoavelmente atualizado seu valor, muito superior à Dívida Externa que nos é exigida.

Outra dívida é a chamada “Dívida Ecológica”. A Amigos da Terra Internacional diz sobre ela que “O acúmulo de responsabilidade dos países industrializados pela destruição (do meio ambiente) causada por seus padrões de produção e consumo, é a chamada Dívida Ecológica. A riqueza extraída pelos países do Norte às custas da população que vive nos países do Sul contaminou seu legado natural e seus meios de
subsistência. A dívida ecológica também inclui a apropriação ilegítima da atmosfera e da capacidade do planeta pelo mundo industrializado. Essa dívida é fruto de um modelo de desenvolvimento que começa a se espalhar pelo mundo e que ameaça a subsistência das economias locais ”.

Então, se há pelo menos três dívidas, por que apenas a “Dívida Externa” é exigida com veemência e seu não pagamento acarreta sanções políticas e econômicas?

Os países do Sul, os países "subdesenvolvidos", somos nós que devemos dizer Basta! Chega deles continuando a pedir emprestado de nós. Basta que continuem a poluir o nosso ar, água e solo. Há muito tempo que pagamos com a fome e a miséria de nossos povos. É hora de dizer o suficiente
de pagamentos sem justa causa e se querem fazer contas que nos digam primeiro como pretendem pagar-nos as suas dívidas.

Somente se começarmos a dizer Basta com todas as nossas forças, podemos salvar o planeta e o futuro da humanidade. E o suficiente significa não para a ALCA, NAFTA, NAFTA ou qualquer outro saque e tratado ambientalmente insustentável. Não às guerras, não ao pagamento de dívidas que não devemos. Basta começar a dizer todos os Não's necessários para que um mundo melhor seja possível e começarmos a construí-lo.

Por Ricardo Natalichio,
diretor
www.EcoPortal.net



Vídeo: 18 Fundos de Renda Fixa Dívida Externa (Julho 2021).