SAÚDE

Quem come melhor do que ninguém e como limpar os dentes com berinjela

Quem come melhor do que ninguém e como limpar os dentes com berinjela

A cultura alimentar japonesa é única e pode contribuir muito para melhorar a nutrição global, cuja dieta usual inclui muitos vegetais, frutas e peixes.

Para melhor explicá-lo, há uma série de técnicas, conhecimentos e tradições japonesas relacionadas ao preparo e consumo de alimentos, que foram designados como Patrimônio Cultural Imaterial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

O Washoku é baseado no respeito pela natureza e é feito de ingredientes frescos, sazonais e com baixo teor de gordura, que juntos representam uma dieta bem balanceada.


Tempura, sashimi, picles, arroz e sopa de missô. Crédito: ciclonebill de Copenhagen, Dinamarca.

O Japão possui uma riqueza de conhecimento e experiência para compartilhar com outros países, uma interação que faz questão de promover como uma atividade relacionada à Década de Ação sobre Nutrição das Nações Unidas.

A década visa reverter os maus hábitos alimentares, que estão intimamente ligados às doenças não transmissíveis, como ataques cardíacos, derrames, câncer e diabetes, que são as principais causas de morte prematura, não apenas em países de alta renda. mas também em muitas partes do Sul em desenvolvimento.

"Essas dietas geralmente não são apenas prejudiciais à saúde, mas também ambientalmente insustentáveis"

Nesse contexto, o Japão exemplifica a eficácia das políticas públicas e da legislação para promover uma nutrição adequada, principalmente com leis que visam educar meninas e meninos e controlar o peso dos adultos, segundo o diretor da FAO.

Essas medidas estão em linha com os compromissos assumidos por governos de todo o mundo na Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição em 2014 e na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável de definir políticas nacionais destinadas a erradicar a desnutrição e transformar os sistemas alimentares. para que dietas nutritivas estejam disponíveis para todos.

O Japão foi elogiado por apoiar os países em desenvolvimento por meio da FAO nas áreas de produção e consumo de alimentos, bem como nos setores agrícolas, como silvicultura, pesca, pecuária, terra e água.

Por exemplo, no Afeganistão, o Japão contribuiu com mais de US $ 100 milhões para as intervenções agrícolas da organização, especialmente para reabilitar a infraestrutura de irrigação do país.

Na Birmânia, os fundos do governo japonês ajudaram a fornecer ajuda de emergência para a regeneração dos meios de subsistência - incluindo sementes e fertilizantes de alta qualidade - para famílias rurais afetadas por enchentes e conflitos armados.

Jornalista e cozinheiro, embaixadores da boa vontade

O diretor da FAO anunciou a nomeação de Hiroko Kuniya e Katsuhiro Nakamura como os primeiros embaixadores da boa vontade da agência especializada para o Japão.

Kuniya ficou conhecido como apresentador de televisão da rede NHK, cobrindo notícias sobre pobreza, fome e outras questões sociais. Mais recentemente, ele cobriu tópicos relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Nakamura ganhou fama em 1979, quando o guia gastronômico Michelin premiou seu restaurante em Paris com uma estrela, tornando-o o primeiro chef japonês a receber tal reconhecimento. Mais tarde, ele retornou ao Japão e, em 2008, foi nomeado chef principal durante a reunião do Grupo dos Oito na cidade de Toyako.

E a história da berinjela como escova de dente?

Agora que sabemos quem come melhor do que qualquer outra pessoa em nosso planeta - os japoneses - é hora de revelar por que e como a berinjela pode ser usada como escova de dente.

A berinjela africana é uma das plantas comestíveis cultivadas por mulheres agricultoras deslocadas pela violência do grupo armado radical Boko Haram, no norte da Nigéria, e que estão envolvidas em um projeto da FAO para dar início à produção local de alimentos. O nome local deste alimento é "gorongo" e não é apenas um importante elemento nutricional, mas também social.

As mulheres costumam mascar as frutas crus do gorong para escovar os dentes. Também é consumido como parte de cerimônias de casamento e de batismo.

Em um estabelecimento de produção de vegetais da estação seca apoiado pela FAO, um grupo de mulheres trabalha juntas em um campo de cultivo de gorongos, entre outras plantações. As agricultoras sobreviventes dos ataques do Boko Haram em suas aldeias são as únicas provedoras de suas famílias.

Um deles explicou que a berinjela como instrumento para escovar os dentes é uma forma de recuperar um sorriso saudável e, com ele, um senso de dignidade.

A berinjela é uma planta útil para os pequenos agricultores, pois produz frutos continuamente e pode ter um grande rendimento, mesmo em um pequeno lote.

Assim, as mulheres colhem as safras excedentes que podem vender para ganhar dinheiro e cobrir suas necessidades além da alimentação, como assistência médica e educação de seus filhos.

Berinjela africana

A berinjela africana é nativa da África central, mas se espalhou para outras áreas, particularmente a África Ocidental, relata a FAO.

Pode ser comido cru, cozido, cozido no vapor, em conserva ou em guisados ​​e suas folhas são frequentemente utilizadas em sopas. Para fazer um guisado, a berinjela é fervida e depois esmagada, colocada em uma panela com azeite, cebola, feijão cozido e pimenta malagueta.

Além da higiene bucal, a planta é utilizada na medicina tradicional para tratar infecções de garganta, por meio do aquecimento das folhas, que são mastigadas. O suco de suas raízes fervidas é usado para tratar a ancilostomíase, enquanto as folhas esmagadas são úteis para doenças gástricas.

Agora você sabe quem come melhor do que ninguém e o que fazer se ficar sem pasta de dente.

Traduzido por Álvaro Queiruga

IPS News


Vídeo: Planta de eva Comigo ninguém pode (Outubro 2021).