NOTÍCIA

Bioplásticos de semente de abacate

Bioplásticos de semente de abacate


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Um empresário que faz plástico ... de abacate. Conheça Scott Munguía, fundador da Biofase, empresa que fabrica bioplásticos com caroço de abacate.

A iniciativa sustentável Biofase, originária de Nuevo León, foi reconhecida pelo Banamex e GreenMomentum após usar material orgânico para fazer sacolas.

Quando estudava engenharia química no Tecnológico de Monterrey em 2011, Scott Munguía, fundador e CEO daBiofase, teve a preocupação de desenvolver e oferecer ao público um produto dabioplásticoque era mais barato, feito de milho, mas acima de tudo que tinha um impacto ambiental menor.

Após oito meses de investigação laboratorial, ele encontrou nosemente de abacateuma molécula que pode ser extraída e sintetizada com uma troca química em biopolímero, ou seja, transformá-la emplástico biodegradável.

“Eu já conhecia as propriedades do abacate, mas quando li um artigo científico sobre como o bioplástico é produzido, percebi que mais de 80% é baseado em algum alimento, principalmente milho e fibras. Aprendi sobre as moléculas que usavam e lembrei que o abacate tinha uma semelhante. Aí me ocorreu usar sua semente para fazer bioplástico ”, disse.

Munguía encontrou um negócio potencial com o abacate, pois estimativas revelam que no México as empresas que industrializam o vegetal para fazer produtos como óleos, guacamole ou molhos, geram cerca de 300 mil toneladas de resíduos de sementes.

“Essas empresas aproveitam apenas o mesocarpo ou o que é a carne do abacate, então a única coisa que fazemos é coletar esse resíduo gerado pelas empresas, o que diminui muito o nosso custo. Isso torna nossas resinas biodegradáveis ​​atraentes porque são produtos sustentáveis, acessíveis e radicalmente mais baratos do que qualquer outro.bioplástico.”

Em relação aos preços dos produtos, Scott explicou que em média as resinas debioplásticoEles são 40% mais caros que o petróleo, mas com a economia de custo de obtenção de seus insumos de produção, eles vendem a resina pelo mesmo preço do petróleo.

“Estamos no mercado com preços competitivos e nossa fábrica de Morelia nos dá boas expectativas de crescimento para os próximos anos”.

O sucesso deBiofaseOcorre em um contexto em que a sociedade e as empresas passam a valorizar e demandar cada vez mais os produtos orgânicos.

“As pessoas percebem que é valioso empreender e gerar valor buscando o benefício do meio ambiente e por isso a Biofase encontrou o caminho do crescimento, além de comercializar um produto orgulhosamente mexicano”, afirmou.

Com informações de:


Vídeo: Lojas Substituem Plástico Por Um Material Improvável (Pode 2022).